Seicheles - Seicheles

Guias Time Out: Sua melhor companhia de viagem para destinos internacionais e nacionais

Contexto

Todos aterrisam em Mahe, a maior das ilhas, antes de ir para Praslin e La Digue, ao norte. São bases ótimas para explorar a ilha e é como se você estivesse vendo pela janela um mundo perfeito de vela, mergulho, pesca em mar aberto e observação de aves.
A pequena capital de Mahe, Victoria, vale a visita pelo seu animado mercado, pelo Museu de História Nacional (Francis Rachel Street, +248 32 13 33) e pelo Jardim Botânico. A maioria das pessoas vem pelas praias espetaculares de Beau Vallon, a oeste da capital, e reservam tempo para conhecer o Parque Nacional Morne Seychellois ou o Parque Marinho Sainte Anne, na costa leste.
Ao norte de Mahe está Praslin, famosa por suas encostas de granito das praias desertas e pela Vallée de Mai, um vale natural de plantas e animais, que levou o general Gordon, de Cartum, a comentar que tinha descoberto o Jardim de Éden. A ‘fruta proibida’ é o coco-do-mar, que nasce somente em Seicheles; a fruta tem uma incrível semelhança com a forma feminina.
La Digue, a leste de Praslin, é outra ilha imperdível pelo seu estilo de vida despojado e transporte em carro de boi. Há enormes penedos nas praias perfeitas, o que o lugar muito procurado para fotos de moda. Para observar algumas das mais raras aves do mundo, vá até Cousin, Curieuse e Aride.
Navegue ao norte para Denis, onde há tartarugas e muitas aves, ou para Bird, onde as tartarugas fazem seus ninhos. Silhouette, com sua rede de trilhas cortando o interior, é ideal para caminhadas, enquanto a North, ao lado, é ideal para relaxar já que é menos montanhoso.
História Local Primeiramente propriedade francesa em 1756, as ilhas Seicheles foram cedidas aos britânicos em 1814, sob o Tratado de Paris.
Os britânicos governaram as ilhas desde as ilhas Maurício. Sob seu domínio, as plantações de coco foram formadas e as ilhas povoadas de escravos africanos, agricultores franceses e imigrantes asiáticos – todos deixaram suas marcas no país.
Em 1976, Seicheles se tornou independente, uma república do Commonwealth.
Política Local James Michel manteve-se presidente depois das eleições de 2006. Apesar do custo de vida proporcionalmente altíssimo, com 90% das mercadorias importadas, o turismo vai de vento em popa, atraindo turistas com consciência ecológica.
A pesca de atum é outra fonte de renda e juntamente com os parceiros do Oceano Índico, como as Ilhas Maurício, Seicheles está em busca de acordos comerciais mais lucrativos..